Mercado Imobiliário e o Cenário em Formação

João da Silva

26 de setembro de 2018

No dia 03 de agosto, escrevi o artigo “Comprar Apartamento na Planta Ainda Vale a Pena”?

De lá pra cá, os números vêm mostrando que sim.

Vamos ao cenário em formação:



31/07/18 | CAIXA REDUZ JUROS NO CRÉDITO IMOBILIÁRIO PARA PESSOA JURÍDICA


“Alinhada à recuperação da economia, às melhores práticas do mercado e, ainda, ao movimento de redução da SELIC, a CAIXA reduz as taxas em média de 1 a 2 pontos percentuais ao ano. A taxa mínima passa a ser de 9% a.a., calculada de acordo com o porte, rating, nível de relacionamento das empresas com a CAIXA e a sustentabilidade do projeto.

A crescente demanda em análise para o segundo semestre de 2018, considerando o reposicionamento e a melhoria das condições de contratação nas linhas de crédito para a Construção Civil, tem como objetivo a retomada dos lançamentos de empreendimentos para geração de emprego, renda e acesso a moradia”.

Injeção de ânimo

“A nova taxa de juros deve incentivar consideravelmente novos empreendimentos e lançamentos de imóveis nos Estados. "Em Brasília, por exemplo, o número de lançamentos este ano está maior do que em 2017. Nossa expectativa é de que esse mercado volte a crescer e uma taxa de juros menor deve ajudar a alavancar isso. Isso porque os empreendedores indecisos podem decidir voltar a investir nesse mercado", avalia Valadão Júnior.

"A CAIXA confirma o bom momento em 2018. "O ritmo dos contratados em 2018 está mais acelerado que no ano passado, principalmente no tocante aos recursos oriundos do FGTS. Estamos executando o orçamento em ritmo acelerado. Em relação ao SBPE, que é outra fonte de recursos, estamos em linha com o orçamento. O ano tem bastante demanda, tanto das empresas quanto das famílias. A meta é realizar todo o orçamento disponibilizado", destaca Paulo Antunes”.

Beneficiários indiretos

“Ainda segundo Valadão Júnior, além de estimular o lançamento de unidades imobiliárias, o juro mais barato vai refletir junto ao público interessado na compra de imóveis. "Quando existe um número maior de lançamentos imobiliários – e essa queda na taxa de juros do financiamento à produção incentiva isso –, o mercado traz uma oferta maior de imóveis e, com isso, passa atender a um número maior de pessoas, oferecendo mais variedades e opções, além de preços variados"”.
FONTE: Caixa Econômica Federal

“A Caixa fez R$ 1,81 bilhão em financiamentos à construção com recursos da poupança entre janeiro e junho deste ano, segundo a Abecip, associação que reúne as instituições que atuam com crédito imobiliário. O banco ficou atrás do Bradesco, que fez R$ 1,861 bilhão em operações no período”.
FONTE: Valor Econômico



01/08/18 | VENDAS DE IMÓVEIS NOVOS CRESCEM EM BH E NOVA LIMA


“Foram vendidas 291 unidades residenciais novas nas cidades de Belo Horizonte e Nova Lima em maio, um incremento de 3,9% em relação ao mês anterior, quando foram comercializadas 280 unidades. O resultado é o segundo melhor do ano, ficando atrás somente do mês de fevereiro com 316 unidades. Os dados são da Pesquisa do Mercado Imobiliário realizada pela Bureau de Inteligência Corporativa (Brain)”.

“As vendas de imóveis em 2018 continuaram superando os lançamentos. Enquanto de janeiro a maio/18 foram vendidas 1.120 unidades os lançamentos, neste mesmo período totalizaram 909 unidades. Com esse resultado, o estoque de apartamentos novos nas cidades de Belo Horizonte e Nova Lima sofreu retração de 9,41% ao passar de 4.178 unidades em maio/17 para 3.785 unidades em maio/18, o menor patamar da série histórica”.

“Com o estoque em queda, o preço médio das unidades residenciais novas neste período cresceu 2,57% enquanto o IPCA/IBGE, indicador oficial de inflação no País registrou alta de 1,33%. Portanto, o preço de apartamentos cresceu, em termos reais, 1,22%. Neste contexto, deve-se ressaltar que o preço dos imóveis pode registrar incremento ainda maior caso seja aprovado o Plano Diretor de Belo Horizonte que está em análise na Câmara Municipal e que estabelece um novo imposto para a construção: a outorga onerosa”.
FONTE: emorar.com.br 



24/08/18 | CAIXA REDUZ JUROS DO CRÉDITO IMOBILIÁRIO


“A Caixa Econômica Federal anunciou a redução de até 0,5 p.p. das taxas de juros do crédito imobiliário para operações com recursos do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE). As taxas mínimas passaram de 9% a.a para 8,75% a.a, no caso de imóveis dentro do Sistema Financeiro de Habitação (SFH), e de 10% a.a para 9,5% a.a, para imóveis enquadrados no Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI).

"Além da redução de juros, o banco também promoveu melhoria das condições no financiamento de imóveis para pessoa física. O limite de cota de financiamento de imóveis usados sobe de 70% para 80%. Todas as mudanças começam a valer a partir desta sexta-feira (24)".

"Estão enquadrados no SFH os imóveis residenciais de até R$ 800 mil, para todo país, exceto para Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais e Distrito Federal, onde o limite é de R$ 950 mil. Os imóveis residenciais acima dos limites do SFH são enquadrados no SFI".

Novas condições

"O limite de cota de financiamento de imóveis usados para pessoa física também subiu de 70% para 80%. A alteração da cota exige do cliente um entrada menor na aquisição do imóvel usado, o que favorece a superação do déficit habitacional. Em 2018, a Caixa possui R$ 82,1 bilhões disponíveis para o crédito habitacional”.
FONTE: Sinduscon – SP 



19/09/18 – COPOM MANTÉM TAXA SELIC EM 6,5% A.A.


“O Copom decidiu, por unanimidade, manter a taxa Selic em 6,50% a.a.
A atualização do cenário básico do Copom pode ser descrita com as seguintes observações:
Indicadores recentes da atividade econômica evidenciam recuperação da economia brasileira, em ritmo mais gradual que o vislumbrado no início do ano”.
FONTE: Banco Central do Brasil

“Decisão já era esperada pelo mercado financeiro. Este é o menor patamar da taxa Selic desde 1999, quando começou a vigorar o regime de metas para a inflação”
FONTE: G1



24/09/18 | CAIXA REDUZ JUROS DO CRÉDITO IMOBILIÁRIO DO SFI


Medidas da CAIXA impulsionam mercado imobiliário

“Redução de até 0,75 p.p. dos juros do Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI), em vigor desde 24 de setembro, faz parte de conjunto de medidas do banco para aquecer o mercado imobiliário”.

Brasil, Economia

“O mercado imobiliário reagiu de forma positiva ao anúncio da CAIXA de redução de até 0,75 p.p. nas taxas de juros do crédito imobiliário para aquisição de imóveis enquadrados no Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI). Segundo o presidente do Conselho Federal de Corretores de Imóveis (Cofeci), José Viana, a medida deve estimular o mutuário a assinar novos contratos de financiamento. “Esta notícia vem num momento muito importante porque faz com que as pessoas se entusiasmem em assinar um contrato de longo prazo, como é o caso do financiamento imobiliário””.

“As novas taxas de juros da CAIXA para o SFI passaram a valer no dia 24 de setembro. A taxa mínima será de 8,75% e a máxima de 10,25% ao ano, para aquisição de imóvel novo, usado, aquisição de terreno ou ainda construção em terreno próprio. O financiamento é destinado aos imóveis de até R$ 1,5 milhão. Segundo Viana, a medida também deve gerar um aumento da confiança na política econômica e se soma a uma série de estímulos que a CAIXA vem realizando neste ano para incentivar a retomada do mercado da construção".

"O anúncio da semana passada foi a quarta redução de juros da CAIXA para o setor em 2018. Em abril, o banco diminuiu a taxa em até 1,25 p.p. para operações com recursos do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE). Em julho, reduziu, em média, de 1 a 2 pontos percentuais ao ano as taxas para pessoa jurídica. Em agosto, promoveu mais uma redução de até 0,5 p.p. das taxas para operações com recursos do SBPE. Além disso, o limite de cota de financiamento de imóveis usados para pessoa física subiu de 70% para 80%. Outro incentivo foi a retomada do financiamento de operações de interveniente quitante (imóveis com produção financiada por outros bancos) com cota de até 70%””.
FONTE: Caixa Econômica Federal


Os números estão à mostra favorecendo um mercado imobiliário já com sinais de crescimento e retorno da valorização. Essas retomadas sempre são cheias de oportunidades de excelentes negócios, basta identificá-las corretamente e aproveitá-las.

Lembrando que a sua segurança e tranquilidade são mais importantes do que qualquer condição favorável. Por isso, é fundamental seguir alguns passos antes de comprar qualquer apartamento, esteja ele na planta ou pronto. 


Abraços!


Ipad

BAIXE GRATUITAMENTE O LIVRO DIGITAL
Qualquer pessoa pode comprar qualquer apartamento na planta com tranquilidade, segurança, planejamento financeiro e plena consciência do que está fazendo.

Conheça o Ismael
Ismael Sant'Ana

Ismael Sant'Ana tem 40 anos e por mais de uma década vendeu apartamentos na planta, fazendo parte do Time da Casa em três incorporadoras de Belo Horizonte. Formado em administração, com MBA em Mercado de Capitais, é corretor imobiliário, perito avaliador de imóveis, e tem especialização em incorporações de edifícios e financiamento de empreendimentos imobiliários com foco no Plano Empresário. 
Como empreendedor, é proprietário da Rever Consultoria e Ensino e sócio da plataforma Review.

PUBLICAÇÕES

10 Passos para Construir um Poderoso Negócio

CARROS ELÉTRICOS EM CONDOMÍNIOS. QUEM PAGA ESSA CONTA?

SAIBA AQUI
10 Passos para Construir um Poderoso Negócio

COMPRAR APARTAMENTOS NA PLANTA AINDA VALE A PENA?

SAIBA AQUI
10 Passos para Construir um Poderoso Negócio

PRA QUE SERVE O PATRIMÔNIO DE AFETAÇÃO

SAIBA AQUI
10 Passos para Construir um Poderoso Negócio

PORQUE USAR A JUSTIÇA PRIVADA

SAIBA AQUI
10 Passos para Construir um Poderoso Negócio

COMO SAÍ DA VIDA AGONIANTE EM UMA CONSTRUTORA PARA O SLOW LIVING NA ESTRADA

SAIBA AQUI